Jardins Efémeros de Viseu, conheça-os!

A luz é o tema do festival de artes de Viseu que decorre até dia 12 de julho.

Uma luz produtora de momentos únicos que celebra a cidade e a comunidade. Uma luz que reflete, que indica e que acompanha os caminhos para as muitas partilhas que se dão nos Jardins Efémeros.

O centro histórico de Viseu está transformado num grande jardim que nos remetem para os grandes espaços barrocos que adornavam os palácios reais. Artistas locais, nacionais e internacionais que celebram as artes numa constante experiência com o público.

je3

Som, artes visuais, dança, teatro, conferencias, arquitetura, oficinas, mercados, cinema, fotografia e muito mais para ver, apreciar, sentir e cheirar nestes Jardins.

O Sonho vive na Casa nº 94 da Rua do Comércio. Uma Casa que chama pelos mais novos cheia de livros e jogos infantis recolhidos pelos comerciantes e oferecidos às gentes de Viseu, assim como o trabalho de cientistas e criadores do programa aplicado a 43 atividades com mais de 1500 vagas em oficinas pensadas para crianças.

Na Sé de Viseu a música pelos dedos de Lubomyr Melnyk e, nos Claustros, a produtora Holly Herndon prometem espetáculos únicos.

Mas há muito mais para descobrir!

je2

No palco dos Jardins Efémeros, no Adro da Sé, são muitos os nomes que vão marcar presença como Pye Corner & Not Waving, Tó Trips ou TochaPestana entre outros.

Na antiga garagem da Renault os Bizarra Locomotiva vão inaugurar o Fojo, um novo espaço e no “Jardim Errante, um palco sobre quatro rodas, poderemos descobrir novos projetos.

Na Casa do Miradouro, a arquitetura, as sombras e a terra fazem uma das peças construídas especialmente para esta edição dos Jardins Efémeros.

Visitemos a exposição “moderno & medieval camuflado” com peças de Pedro cabrita Reis, Mário Cesariny e Álvaro Lapa, com a participaçãoo especial de Eduardo Souto Moura e peças internacionais.

Nesta edição mantêm-se os seus princípios fundadores, cruzando artistas locais com internacionais, ciência e arte, estabelecendo-se pontes entre diferentes formas de intervir na cidade.

je1

Mantendo, ao mesmo tempo, a sua matriz social, artística e lúdica, a programação desenvolvida é um reflexo da tentativa de agregar diversas linguagens e conteúdos no mesmo espaço urbano – o centro histórico de Viseu.

“Iluminismo” é a palavra caracterizadora da V edição dos Jardins Efémeros. Se o “Século das Luzes” se traduziu na aplicação da razão aos mais diversos campos da vida, os Jardins convocam na cidade esse conceito e o pensamento crítico que lhe está associado através de práticas artísticas e culturais diversas.

Mais do que fornecer entretenimento sem conteúdo ou significado, procuramos estimular, em cada espectador, uma visão contemporânea da vida e das suas complexas intersecções. A dimensão experimental deste acontecimento cultural obriga, ao confronto entre o passado – representado pelas ruas, praças, edifícios e espaços -, o presente – momento em que decorre a ação – e o futuro – as infinitas possibilidades abertas de tudo a que assistimos. É também a ideia individual e colectiva de cidade, o respeito pela diferença e o intercâmbio das mais diversas vivências que nos motivam e entusiasmam neste acontecimento cultural.

Conheça o programa destes Jardins Efémeros em www.jardinsefemeros.pt e apresse-se, tal como o nome diz estes Jardins são de curta duração e, tal como a vida, efémeros!

 

Fotografia: Eduardo Ferrão: Fernando Carqueja

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *