CineEco em Outubro

Escurece-se a sala. Roda a fita. Na tela imagens aparecem. A intenção é que paremos para pensar. Pensar no mundo e naquilo que fazemos dele, com ele e para ele.

É o 22º Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela. Decorre em Seia de 8 a 22 de outubro e traz a esta cidade serrana cem filmes de mais de 20 países.

“Nuclear Não Obrigado!” é o mote deste ano, e este é um dos mais importantes Festivais do género na Europa, tanto que Mário Branquinho, diretor do festival, acaba de ser convidado para a vice-presidência da plataforma internacional de 35 festivais de cinema de ambiente de todo o mundo.

Esta é a melhor edição de sempre do CineEco, com a presença do melhor da produção mundial e tem o FINCA – Festival Internacional de Cinema de Buenos Aires, da argentina, como convidado especial.

A 22ª edição do CineEco cinclui uma seleção de filmes repartidos por várias secções competitivas como longas, médias e curtas-metragens internacionais, além de séries, documentários e reportagens de televisão, longas e curtas da lusofonia, panorama regional e sessões especiais.

Na competição internacional de longas-metragens estarão em competição os seguintes filmes:

A suplicação-Vozes para Chernobyl, de Pol Cruchten

A Vida em Chamas, de Manuel H. Martin

Flores do Futuro: Dobra Voda, de Valérie Valette

Semente: A História Nunca Contada, de Taggart Siegel, Jon Betz

O Normal é mais que um filme, de Renee Scheltema

Sempre a Terra, de sarah Grohnert

Undune, de Denis Ratzer

Os Guardiões da Água. Carnia Revolta-se, de Giulio Squarci

Furação, de Cyril Barbancon, Jacqueline Farmer

A Morte Diária, de Daniel Lentini

Rio Corgo, de Maya Kosa & Sérgio da Costa

 

Na Competição de Documentários e Reportagens para Televisão, estão em competição no CineEco:

 

O clima, os homens e o mar, de Christophe Cousin

Baleias e Ilhas Selvagens, de Susanne Becker

O Jovem e o Mar, de Till Schauder

A Moratória da Soja da Amazónia, de Maarten van

Sobrevivendo ao El Niño, de Maarten Van Rouveroy van Nieuwall

Central Nuclear de Almaraz: Uma Bomba Atómica na margem do Tejo, de Dina Soares, Joana Bourgard e Rodrigo Machado

Central Nuclear de Almaraz, levanta dúvidas relativamente à segurança, Hugo Alcantra

As vozes de Chernobyl, de Sofia Arêde

Tejo, O rio Perdido, de Jorge Almeida

SOS na Ilha de Santa Maria, de Jorge Almeida

 

Na Competição Internacional Médias-Metragens:

Extremos – Viagem a Karunkinka, de Frederico Molentino e Juan Manuel Ferraro

Os Elefantes não podem saltar, de Rodrigo Saez Molina

Maré Negra, de Steve Johnson

Gorbatov, de Nikita Ordynskiy

As saigas do Ustyurt. Um direito à vida, de Lyudmila Garmash

Espelhadas Montanhas, de Alexandra Marchenko

 

A competição nas Curtas Internacionais:

O Mar Triste, de Javier Rodes Sillué

Árvore, de Sadeg Akbari

Cultivando em 2020, de Miriam Steen

O Jovem e o Mar, de José Maria Arijo

Ilha, de Kuesti Fraun

Mea Culpa, de Oleksandra Protsenko

Lucens, de Barelli Marcel

Catatumbarí, de Oriana Contreras

Kretiar, de paula Bañuelos, Elbio Aparisi e Zuriñe goikoetxea

Kukurer poti, de Md. Ariful Islam

Respiração, de Mona Moradi

A Ribeira, de Inti Pérez Peña

Homem Elétrico, de Alvaro Muñoz

Artemis, de Heather Freeman

Poder Humano, de Ephiraim Broschowski e Bernd Hezel

Metamorfose, de Michel patient

Uma Eco Quinta no teto do Mundo, de Giovanni Ortolani

Outros valores,d e Dinesh Talekar

Mensagem dos Animais, de Elke H. Markopoulos & Rainer Ludwigs

As Cheias, de Luis Miras Vega e Luz Ruciello

Crimeia. O Sonho do Imperador, de Daniel Dloouhy

A Menina Lixo, de Mohammad Zare e Schalale Kheiri

Sval&Bard-10 Regras para Sobreviver no Ártico, de Daniele Di Domenico

 

Na competição Lusofonia, Longas, estão os filmes:

Aracati, de Aline Portugal e Julia de Simone

Apart Horta, de cecilia Engels

Contrabando, de Paulo Vinhas

Um Sonho Soberano, de Gonçalo Guerra

A vossa Terra, de João Mário Grilo

 

No que toca a médias metragens lusófonas, estão a concurso:

O ouro de Tresminas – Tecnologia Mineira Romana, de Rui Pedro Lamy

Aquamazonida, de João Leite

 

Na secção de curtas:

Efígie, de Renato Coelho

A Torre, de Salomé Lamas

Boi na Linha, de Arthur Dias,

Não-Tempo, de Francisco Duarte

Ascensão, de Pedro Peralta

Ana Crónica, de Luis Queiroga Ferraz,

Coroas, de Isaac Donato e Marília Cunha

Pesca Por Um Mar Sem Lixo, de Carlos Vaz

Petróleo no Algarve, de Miguel Saraiva

A Última Praia, de Fábio Gomes

Água, de Cristiano Sousa,

Um Dia na Vida do Pastor Boaventura, de Emanuel Silva

Renascer, de Leandro Cordeiro

Lipe, Vovô e o Monstro, de Felippe Steffens

Verde Chorume, de Roberta Bonoldi,

Gerais, de Tiago Carvalho e Arthur Frazão

Lambari, de Rodrigo Ribeiro da Silva Freitas

Regis, de Millena Araujo e Renata Dorta,

 

No Panorama Regional estão em competição:

Torre, de Paulo César Fajardo

Pastor de Sonhos, de Paulo César Fajardo

Atopia, de Luís Azevedo e Alexandre Marinho

O Rio – Parte 3, de Luis Antero e Tiago Cerveira

A Última Lavoura Desta Terra, de Andreia Carvalho

Bordaleira Serra da Estrela, de Sérgio Caetano

O Último Moleiro da Serra da Estrela, de Paulo Leitão e Tiago Cerveira

Cem Anos da Urgeiriça, de James Ramsay Cameron,

 

Haverá ainda espaço para sessões especiais:

 

Amanhã (Demain), de Cyril Dion e Mélanie Laurent

Crescimento Sagrado (Sacrée croissance!), de Marie Monique Robin

O Que Queremos para o Mundo?, de Igor Amin

A Idade do Gelo: O Big Bang, (3D) de Mike Thurmeier e Galen T. Chu,

A Procura de Dory, (3D) de Andrew Stanton e Angus MacLane,

O Livro da Selva, de Jon Fayreau,

Filme Vencedor do Award GFN/2016

 

De 8 a 22 de outubro, não perca a 22ª edição do CineEco que decorrerá na Casa Municipal da Cultura de Seia.

 

 

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *