Artigos

Feira do Vinho do Dão 2017 promete

Os apreciadores de bons vinhos podem reservar, mais uma vez, o primeiro fim-de-semana de setembro para rumarem a Nelas para mais uma edição da Feira do Vinho do Dão.

Nos dias 1, 2 e 3 de setembro o centro de Nelas será o palco da maior feira de vinho do Dão da região. Cerca de 50 produtores estarão presentes nesta que é já a 26ª edição da Feira.

Esta é uma Feira que se orgulha das suas raízes e que procura apresentar um programa diversificado, mas sempre relacionado com o vinho, demarcando-se dos eventos mais “populares”. Não são as festas do concelho, é a Festa do Vinho e aqui o Dão é representado pelos seus melhores produtores, vindos dos quatro cantos da região e não apenas do concelho de Nelas.

Do programa deste ano consta mais uma edição do Musical “As Músicas que os Vinhos Dão” e que em 2017, após uma trilogia apaixonante, entra numa nova Era, com novas histórias em torno do vinho, da região e das suas gentes. Este ano o protagonista será o escanção e é uma história completamente diferente contada através de melodias intemporais e clássicas, mas que continua cingida ao grande amor por esta região tão bela.

“No reino das rolhas perdidas” é pois, o postal de amor a Nelas e a toda a região do Dão, e a proposta para este ano da Contracanto que assina este musical.

Este ano a Feira do Vinho do Dão conta com uma novidade, o Concurso de Vinhos da Feira – Medalha Eng. Vilhena (uma justa homenagem a Alberto Vilhena, considerado o “arquiteto” do Dão). Serão selecionados 10 tintos e 10 vinhos brancos de entre os produtores presentes na Feira e que queiram ir a concurso.

O Concurso de Vinhos não se restringe a si mesmo, podendo os interessados participar na Prova 10+10 com Harmonização gastronómica a cargo do Chef Diogo Rocha do Mesa de Lemos e que irá reunir os 20 vinhos selecionados. Trata-se de uma prova comentada pelo jornalista especialista em vinhos, Luís Lopes, e que dará a possibilidade aos inscritos de provarem aqueles que são considerados os melhores vinhos presentes na edição este ano da Feira. A prova será harmonizada com pratos confecionados pelo Chef Diogo Rocha. A participação neste evento só pode ser feita mediante inscrição e o pagamento de 25€.

O Chef Diogo Rocha é um dos nomes de referência nesta Feira, sendo uma visita assídua nos últimos anos, participando em diversos momentos com a sua assinatura e dando a conhecer a gastronomia local reinventada.

Este ano não será diferente, estando prevista uma ação para o último dia do evento e que promete surpreender. A Máquina do Tempo do Diogo Rocha promete ser um espaço de diálogo onde se pretende debater o futuro da Feira do Vinho do Dão enquanto o Chef demonstra através de algumas criações gastronómicas a sua visão culinária para 2020. Para participar neste momento é necessário fazer uma inscrição validada mediante o pagamento de 20€.

As noites também prometem ser animadas, com a presença de alguns Dj’s bem conhecidos do público como André Henriques (antigo locutor da RFM) que irá apresentar o seu set na sexta-feira, Wilson Honrado (Rádio Comercial) que comandará a noite de sábado e Gryzzler, que de resto atuará todos as noites, mas que no domingo, junto com os 2Mates será o responsável pelo fecho da animação da Feira.

A par destes momentos, durante a Feira será apresentado o livro “Territórios Vinhateiros de Portugal” da AMPV. Haverá um espaço dedicado aos mais novos. No segundo dia pode participar no “Dão Património de conhecimento”, um espaço onde se irá debater o Dão e fazer algumas provas de vinhos velhos do Dão.

Decorrerá também, no sábado, o IV Torneio Internacional de Futebol Veterano Feira do Vinho do Dão e o Torneio de Futsal Sénior ABC de Nelas e no domingo a X Maratona BTT do Dão e o FIT Club.

Nesta edição será ainda homenageado o Sr. José Carlos Lopes Oliveira pelo seu contributo à região.

Há muito para ver, ouvir e degustar nesta edição da Feira do Vinho do Dão que irá decorrer em Nelas, na Praça do Município nos dias 1, 2 e 3 de setembro!

 

Há um vinho raro em Figueira de Castelo Rodrigo o Pinking

A natureza é caprichosa e aquilo que podemos considerar um defeito pode, na realidade, revelar-se uma agradável novidade! Em Figueira de Castelo Rodrigo um “defeito” deu origem a uma categoria de vinho muito rara com o nome “Pinking”.

“Pinking” é uma categoria de vinho rara porque não pode ser produzida todos os anos, nascendo de um conjunto de fatores climatéricos que, como tal, não podem ser reproduzidos pelo homem.

O defeito passou a dar origem a uma nova categoria de vinho única no mundo, como sublinhou Jenny Silva, enóloga da Adega Cooperativa de Figueira de Castelo Rodrigo.

Foi a enóloga, enquanto estudante de mestrado na UTAD em conjunto com Fernando Nunes e Fernanda Cosme docentes nesta Universidade quem identificou o fenómeno “Pinking”. Mas afinal o que faz este fenómeno que está relacionado com as condições climáticas (temperatura média dos dez primeiros dias do mês de outubro) às uvas brancas nesta região? A temperatura nestes que são os últimos dias de maturação das uvas brancas da região faz com que os vinhos, produzidos exclusivamente com as castas brancas, surjam com uma cor rosa-salmão.

O que poderia ser visto como um problema foi encarado como uma oportunidade, assumido-se como um vinho raro e deixando-se, assim, de lado a necessidade de fazer o vinho passar por um tratamento que implicava um processo de estabilização com custos elevados.

As condições climáticas que dão origem a este fenómeno são tão raras que é impossível produzir estes vinhos todos os anos, uma vez que se as temperaturas médias forem altas ou haver muita pluviosidade neste período, o fenómeno não ocorre ou acontece em menor escala.

É então raro este vinho e foi batizado de “Pinking”, em homenagem ao fenómeno.

O Castelo Rodrigo Pinking 2016 é um DOC, produzido exclusivamente com a casta Siria, a preferida por terras da Beira Interior, e apresenta um aroma frutado e boca equilibrada com final harmonioso.

 

Fonte: RR

Sogrape lança novos vinhos Grão Vasco

Já estão no mercado os novos Grão Vasco da Sogrape. O lançamento destas novas colheitas aconteceu na Tasca da Esquina, do Chef Vítor Sobral, em Lisboa.

Na apresentação a enóloga Beatriz Cabral de Almeida conduziu uma prova de Grão Vasco das décadas de 1970, 80, 90 e 2000. Os vinhos de 2016 foram apresentados logo a seguir, tanto o branco como o tinto, dando a conhecer uma imagem e conceitos renovados. A Sogrape quer apresentar um novo Dão aos consumidores atuais que estão cada vez mais exigentes e informados.

A mudança aconteceu com uma nova garrafa e um rotulo mais moderno e apelativo e que representam uma aproximação à Quinta dos Carvalhais, nome incontornável do Dão.

Os Grão Vasco são vinhos de referência no Dão com assinatura da Quinta dos Carvalhais que assinalam 60 vindimas este ano e por isso apresenta-se nestas novas garrafas como um vinho preparado para o futuro do Dão.

O Grão Vasco Branco é um vinho jovem e fresco, bastante expressivo. Para manter este perfil, a enologia aposta na utilização de leveduras selecionadas na Quinta dos Carvalhais e recorre a temperaturas de fermentação mais baixas. Na adega, os cuidados a ter são muitos, mas sobretudo há que proteger o vinho da oxidação e, assim, garantir que o resultado final expresse o melhor do terroir do Dão.

No caso do Grão Vasco Tinto, é privilegiada a intensidade da fruta vermelha, num conjunto que se revela concentrado e bem definido, mas simultaneamente elegante e suave na boca. A seleção cuidada de uvas e o controlo da extração suave, em cada fermentação alcoólica, permitem à enologia a obtenção deste perfil.

O PVP recomendado é de 3,49€.

 

Fonte: vinhoportovintage; revista de vinhos

Festival de Vinhos do Douro Superior em Maio

Em Portugal celebramos o vinho como sendo um dos produtos de excelência que por cá produzimos e a verdade é que somos muito bons na arte!

Já lá vai o tempo em que quando falávamos de bons vinhos nacionais nos restringíamos a marcas do Douro ou Alentejo. Hoje em dia há cada vez mais regiões a darem cartas no mundo vinícola. Há que promover! Há que dar a conhecer a todos!

 

Em Vila Nova de Foz Côa a importância da promoção já foi percebida há muito tempo e o Festival do Vinho do Douro Superior começa a cimentar a sua posição na promoção dos vinhos e produtores desta região.

De 19 a 21 de Maio decorre a sexta edição do Festival do Vinho do Douro Superior, contando com a presença de enólogos, produtores e especialistas que vão dar a provar e a conhecer os néctares produzidos na região do Douro Superior.

Neste evento os visitantes e participantes podem contar com três provas comentadas começando pala do dia 19, “Grandes brancos do Douro Superior”, por Fernando Melo, jornalista e crítico da VINHO-Grandes Escolhas. No dia 20 terá lugar a prova comentada “Grandes Vinhos tintos do Douro”, com a participação de João Paulo Martins, jornalista e crítico da VINHO-Grandes Escolhas. No último dia decorrerá a prova “Vinho do Porto”, por Fernando Melo jornalista e crítico da VINHO-Grandes Escolhas.

Para além das provas decorrerá o Concurso de Vinhos dos Douro Superior. Haverá lugar, ainda, para um colóquio sob a temática “Um rio de patrimónios, da foz à nascente” com a presença do Jornalista Francisco José Viegas, do Professor Bianchi de Aguiar, do enólogo João Nicolau de Almeida, entre outros oradores, com moderação de João Paulo Martins, Jornalista e crítico da VINHO-Grandes Escolhas.

No dia 20 de maio os visitantes poderão assistir a uma prova comentada de azeites, por Francisco Pavão, especialista em azeites e assistir ao concerto de Tony Carreira.

 

 

 

 

Conheça os Boa Compra do Dão para este ano

Já são conhecidos os Vinhos, Boa Compra da Revista de Vinhos do ano 2016

e se em 2015 a lista já era extensa, o final de 2016 veio aumentar, ainda mais, essa lista!
Durante o ano de 2017 pode, então, começar a planear as suas compras para a garrafeira com base nesta lista que, no total, com 945 “selos” de Boa Compra!
Claro que não vamos fazer, aqui, a lista completa, até porque na região os vinhos de eleição são os do Dão e os da Beira Interior.
Antes de avançarmos para a lista, devo dizer que o selo “Boa Compra” é atribuído pelo painel de provadores da Revista de Vinhos (RV) quando um vinho atinge determinada pontuação dentro de um escalão de preço.
A avaliação qualitativa dos vinhos é feita numa escala de 0 a 20 com meios pontos, e reflete, naturalmente, o investimento feito pelos produtores, na vinha e na adega.
As notas mais altas serão, naturalmente, atribuídas a vinhos nos escalões de preço mais elevados, não porque são caros, mas porque são os melhores.
Para o cidadão comum, no entanto, a maior parte desses néctares fica fora do alcance das suas bolsas. Resta sonhar. E procurar as melhores opções entre os preços mais moderados. A boa notícia é que nesse campo há muito por onde escolher.

Passemos ao que nos interessa, a lista dos Vinhos Boa Compra da Região Demarcada do Dão:

Adega de Mangualde Dão branco 2015
Adega Coop. Mangualde

Adro da Sé Dão Encruzado branco 2015
Udaca

Allgo Dão Encruzado-Uva Cão branco 2015
Allgodao Dão branco 2015
CM Wines

Cabeço do Mocho Dão Grande Escolha tinto 2012
Jaime de Almeida Barros

Cabriz Dão Col. Selec. branco 2015
Cabriz Dão Col. Selec. tinto 2014
Global Wines

Casa Américo Dão Touriga Nacional tinto 2012
Seacampo

Casa da Ínsua Dão Reserva tinto 2011
Casa da Ínsua Dão tinto 2012
Empreendimentos Turísticos Montebelo

Casa da Passarella A Descoberta Dão branco 2015
Casa da Passarella A Descoberta Dão tinto 2012
Casa da Passarella Enxertia Dão Jaen tinto 2012
Casa da Passarella O Brazileiro Dão rosé 2015
Casa da Passarella O Fugitivo Vinhas Centenárias Dão tinto 2013
Casa da Passarella

Casa de Santar Dão Reserva branco 2014
Soc. Agr. de Santar

Druida Dão Encruzado Reserva branco 2015
C2O

Evidência Dão tinto 2015
Parras Vinhos

Flor de Nelas Dão Encruzado branco 2014
Flor de Santar Dão tinto 2015
Ares do Dão

Fonte do Ouro Dão Reserva tinto 2014
Fonte do Ouro Dão tinto 2014
Soc. Agr. Boas Quintas

Fráguas Dão tinto 2014
Global Wines

Grilos Dão branco 2014
Grilos Dão Reserva tinto 2014
Soc. Agr. Casal de Tonda

Ladeira da Santa Dão Grande Reserva tinto 2015
Ladeira da Santa Dão tinto 2013
Ladeira da Santa

Opta Dão branco 2015
Opta Dão Reserva tinto 2013
Opta Dão rosé 2015
Opta Dão tinto 2013
Opta Premium Selection Dão Touriga Nacional tinto 2015
Opta Wines

Pedra Cancela Dão Reserva tinto 2014
Pedra Cancela Dão Malvasia Fina-Encruzado Reserva branco 2015
Pedra Cancela Vinhos do Dão

Pinha Ribeiro Santo Dão branco 2014
Pinha Ribeiro Santo Dão tinto 2013
Magnum – Carlos Lucas Vinhos

Quinta da Fata Dão Reserva tinto 2012
Quinta da Fata Talhão do Alto Dão Touriga Nacional Grande Reserva tinto 2014
Quinta da Fata

Quinta da Giesta Dão branco 2015
Quinta da Giesta Dão tinto 2014
Quinta da Giesta Dão Touriga Nacional rosé 2015
Soc. Agr. Boas Quintas

Quinta da Ponte Pedrinha Dão branco 2015
Quinta da Ponte Pedrinha Dão tinto 2014
Quinta da Ponte Pedrinha Dão Touriga Nacional tinto 2014
Maria de Lourdes Mendes Osório

Quinta da Tapada do Barro Dão Reserva tinto 2011
Quinta da Tapada do Barro Dão tinto 2012
António Silva Viana

Quinta das Camélias Dão Touriga Nacional tinto 2010
Quinta das Camélias Dão Reserva tinto 2010
Quinta das Camélias Reg. Terras do Dão Syrah tinto 2012
Quinta das Camélias Dão rosé 2015
Jaime de Almeida Barros

Quinta das Maias Dão Malvasia Fina branco 2014
Soc. Agr. Faldas da Serra

Quinta das Marias Dão Encruzado branco 2014
Quinta das Marias Cuvèe TT Dão Reserva tinto 2014
Quinta das Marias Lote Dão tinto 2013
Quinta das Marias – Peter Eckert Vinhos

Quinta de Saes Dão tinto 2012
Quinta da Pellada – Álvaro Castro

Quinta do Cerrado Dão Jaen tinto 2014
Quinta do Cerrado Dão Malvasia Fina branco 2015
União Comercial da Beira

Quinta do Margarido Dão branco 2014
Quinta do Margarido Dão Col. Selec. branco 2014
Quinta do Margarido Dão Col. Selec. tinto 2012
Soc. Agr. do Margarido

Quinta do Mondego Dão branco 2015
Fontes da Cunha

Quinta do Perdigão Dão Encruzado branco 2014
Quinta do Perdigão

Quinta do Sobral Dão tinto 2014
Quinta do Sobral Santar Dão Touriga Nacional tinto 2013
Quinta do Sobral

Quinta do Vale Dão tinto 2014
Seacampo

Quinta dos Carvalhais Dão Encruzado branco 2015
Quinta dos Carvalhais Dão tinto 2012
Sogrape Vinhos

Quinta dos Garnachos Dão tinto 2013
Quinta dos Garnachos Dão Touriga Nacional tinto 2013
Quinta dos Garnachos

Ribeiro Santo Dão branco 2015
Ribeiro Santo Dão Encruzado branco 2015
Ribeiro Santo Dão Touriga Nacional tinto 2012
Ribeiro Santo Dão tinto 2013
Magnum – Carlos Lucas Vinhos

São Matias Dão branco 2015
Casa de São Matias

Sobral Santar Dão branco 2015
Quinta do Sobral

Soito Dão tinto 2013
Soito Wines

Somontes Dão branco 2014
Somontes Dão rosé 2014
Casa da Passarella

Tapada do Barro Reg. Terras do Dão tinto 2012
António Silva Viana

Titular Dão branco 2015
Caminhos Cruzados

Titular Blush Edition Dão rosé 2015
Titular Dão Alfrocheiro tinto 2014
Titular Dão rosé 2015
Caminhos Cruzados

Torreão da Alameda Dão Reserva tinto 2014
Alameda de Santar

UDACA Dão Touriga Nacional tinto 2012
Udaca

Vegia Dão tinto 2012
Casa de Cello

Vidente Dão tinto 2014
C2O

Vinha Paz Dão branco 2015
António Canto Moniz

Em 2016, o painel de provadores da RV, constituído por João Afonso, João Paulo Martins, Luis Antunes, Luís Lopes e Nuno de Oliveira Garcia, encontrou 945 vinhos merecedores do selo Boa Compra. Isto representa uma subida em relação aos 765 atribuídos em 2015, acelerando o movimento ascendente que marca os últimos cinco anos: foram 376 selos em 2012, 494 em 2013, 625 em 2014. Esta tendência simboliza bem o esforço dos produtores, apostados em aprimorar cada vez mais a qualidade dos seus vinhos, sem que isso se reflita obrigatoriamente no bolso do consumidor.

Quinta dos Termos aposta em novos vinhos

Temos notícias frescas vindas diretamente do mundo dos vinhos da região!

A Quinta dos Termos, com sede em Belmonte, está a alargar os seus horizontes e encontra-se a investir na Herdade da Bica, no Alto da Lousa.

A empresa já plantou 12 hectares de vinha na Herdade da Bica e vai plantar mais 18 já na próxima primavera, num investimento de cerca de dois milhões de euros, numa primeira fase, que contempla plantação, a compra da herdade e a construção de infraestruturas.

Investir nesta Herdade irá proporcionar à Quinta dos Termos a oportunidade de alargar a sua oferta no mercado, disponibilizando o que chamam de vinhos novos, menos agressivos, contrastando com os vinhos de grande longevidade e de elevada qualidade que dão nome a esta empresa. Os vinhos a produzir nesta herdade irão beneficiar de um clima mais quente, característico do sul da Gardunha, com um perfil mais Alentejano, tornando-se num complemento à Quinta dos Termos.

Nesta Herdade serão plantados dois campos de experimentação, um da casta Callum, pouco conhecida, da região de Oleiros, e outra de Rufete, a casta mais importante da Região da Beira Interior.

A Quinta dos Termos quer, nos próximos quatro anos, introduzir no mercado os primeiros vinhos desta Herdade e que se irão juntar aos 28 que a Quinta dos Termos comercializa atualmente.

Dão na Lista da Wine Spectator de 2016

Temos boas noticias para o Dão!

Há quatro vinhos portugueses no top 100 da Wine Spectator, sendo que o mais barato nem sequer chega a 10 euros e, vejam só, tem a região do Dão a encabeçar as opções nacionais!

A revista Americana Wine Spectator já divulgou as suas listas dos 100 vinhos do ano.Ssão elas a lista geral e a chamada Top Values. A primeira é feita com base em fatores como a qualidade, valor, disponibilidade e um que se pode chamar de entusiasmante.

Apesar de este ano não ser o melhor no que toca a posições, não podemos deixar de ficar felizes por termos 4 vinhos nacionais no Top 100. O destaque da HeartBeat vai para o facto do primeiro vinho que surge na lista ser um néctar do Dão. O tinto Quinta de Cabriz 2014, que surge em 46º lugar e que é o mais barato da lista, com um preço que ronda os 10 dólares no mercado americano.

A lista dos Top 100 Values, dedicada aos vinhos com melhor relação preço/qualidade, está dividida por seis estilos de vinho.

Desses, os vinhos portugueses apenas entraram em duas listas mas brilharam especialmente na de ‘Rich Whites’, dedicada a brancos mais maduros, com maior volume de boca. Três brancos lusos conseguiram aqui entrar, dos vinte da lista.

A outra presença coube ao Casa de Santar 2014, que entrou no top 20 da lista ‘Big Reds’, os tintos com maior estrutura de boca, mais maduros.

 

Os portugueses no Top 100
dao-cabriz
46 Quinta de Cabriz Dão tinto 2014 (90) – Global Wines
50 Evel Douro tinto 2014 (90) – Real Companhia Velha
69 CARM Douro Reserva tinto 2012 (91) – Casa Agrícola Roboredo Madeira
80 Quinta Vale D. Maria Douro 2013 (94) – Lemos & van Zeller

 

Os portugueses nas listas Top Values
Rich Whites (20)
Quinta de Cabriz Dão 2015 (89) – Global Wines
Planalto Douro Reserva 2015 (88) – Casa Ferreirinha
Monte Velho Alentejo 2015 (88) – Esporão

 

Big Reds (20)
Casa de Santar Dão 2014 (89) Global Wines
Conheça a lista completa:

http://top100.winespectator.com/lists/

Crédito Agrícola premeia vinhos da região

Já são conhecidos dos vencedores do 3º Concurso de Vinhos promovido pelo Crédito Agrícola em parceria com a Associação dos Escanções de Portugal.

Foram mais de 200 vinhos entre brancos, tintos e espumantes, colocados à prova por 121 produtores nacionais. O júri distinguiu 62 com a Tambuladeira dos Escanções de Portugal, desses 27 trouxeram a medalha de ouro para casa e 35 a medalha de prata.

 

Na região do Dão apenas um vinho foi premiado com a Tambuladeira de Ouro:

  • Adro da Sé Encruzado DOC Dão Branco 2015

 

Já com a Tambuladeira de Prata foram premiados:

  • Adega de Corga DOC Dão Branco 2015
  • Casa da Ínsua Espumante DOC Dão Branco 2014
  • Quinta do Escudial Encruzado DOC Dão Branco 2015

A Região Demarcada do Dão tem vindo a destacar-se no panorama dos Vinhos Nacionais, arrecadando diversas medalhas nos concursos portugueses e nos internacionais. Este reconhecimento atesta a crescente qualidade destes néctares e o trabalho de promoção feito em tornos da Região Demarcada do Dão.

 

Beira Interior premiada

A região da Beira Interior também viu dois dos seus vinhos serem premiados com a Tambuladeira de Prata, foram eles:

– Doispontocinco DOC Beira Interior Tinto 2013

– Fora de Jogo DOC Beira Interior Tinto 2013

Os Vinhos da Beira Interior são especiais, muito devido às características geográficas em que as uvas crescem o que torna estes néctares diferentes dos restantes produzidos no território nacional.

Começam a ganhar terreno e a conquistar cada vez mais adeptos. Os principais produtores começam a perceber o potencial deste produto diferenciado e a aposta na promoção começa a ser cada vez mais notória. Municípios como o de Pinhel já organizam eventos em torno dos vinhos da Região da Beira Interior.

Artigos relacionados:

http://heartbeat.pt/guia-boa-compra-de-vinhos-do-dao/

http://heartbeat.pt/vinhos-da-beira-interior-sao-boa-compra/

Dão nas escolhas da Imprensa de Vinhos nacional

A Imprensa nacional relacionada com o Vinho já deu o seu veredicto no que toca aos melhores vinhos deste ano.

O concurso decorreu no passado mês de setembro, com cerca de36 jurados a entrarem em mais uma edição do “A Escolha da Imprensa”. Em prova estiveram 350 vinhos distribuídos por 5 categorias: espumantes, brancos, rosés, tintos e licorosos. No final foram escolhidos quatro que ficaram com o maior prémio, o “Grande Prémio Escolha da Imprensa”, atribuído aos vencedores depois de uma finalíssima com os três mais pontuados em cada categoria.

O júri é fora do comum, constituído por uma mistura de provadores profissionais com enorme experiência e outros, embora não estreantes nas andanças, que já têm contacto com os temas da gastronomia e vinhos e são apreciadores de vinho. Os curriculums são variados, tornando este um grupo muito heterogéneo, no entanto a organização acredita que a inclusão de enófilos num grupo de profissionais de prova permite aproximar a avaliação ao patamar do consumidor comum.

Este tipo de júri faz com que esta prova esteja muito próxima da opinião do consumidor regular dos bons vinhos, alargando o leque de opiniões a pessoas que são apreciadores frequentes e interessados.

Para este concurso, quase todos os produtores, enviaram os seus “topos de gama”, sendo que o preço dos vinhos que se sagraram vencedores se situa entre os 30 euros a garrafa!

Os resultados foram anunciados no passado dia 11, dia de S. Martinho e entre eles encontramos vinhos de todo o país, aqui destacamos os vencedores da região do Dão, são eles:

 

ESPUMANTES
Nota: todos os espumantes são brancos
Escolha da Imprensa
Cabriz Blanc de Noir Dão Touriga Nacional 2012 (Global Wines)

cabriz-blanc
BRANCOS
Escolha da Imprensa
Varanda da Serra Dão 2014 (Ares do Dão Soc. Vitivinícola)

varanda-da-serra-mg
TINTOS
Escolha da Imprensa
Ribeiro Santo Dão Grande Escolha 2011 (Magnum – Carlos Lucas Vinhos)

ribeiro-santo
Villa Oliveira Dão Touriga Nacional 2011 (O Abrigo da Passarela)

vila-oliveira

LICOROSOS
Escolha da Imprensa
Cabriz Ímpar Vinho Licoroso (Global Wines)
cabriz-impar

Pinhel quer ser a “Cidade do Vinho” 2016

Antes de mais, o que é a “Cidade do Vinho” que Pinhel tanto almeja?

Pois bem, trata-se de uma iniciativa que surgiu em 2009 com o intuito de contribuir para a valorização da riqueza, diversidade e das características comuns da cultura do vinho e de todas as suas influências na sociedade, paisagem, economia, gastronomia e património, e Pinhel quer fazer parte desta atividade.

O Município de Pinhel tem vindo a destacar-se no panorama vínico nacional pela qualidade dos seus vinhos da Beira Interior, e esta seria uma ótima oportunidade de promover a região também pela sua oferta vínica.

Desde que a iniciativa começou em 2009, já foram várias as cidades que assumiram o papel de ser “Cidade do Vinho” caso, por exemplo, de Lagoa (2016) ou Reguengos de Monsaraz (2015). Para 2017 Pinhel concorre com Alenquer e Torres Vedras (candidatura conjunta-Lisboa), madalena do Pico (Açores), Moura (Alentejo) e com a vizinha Vila Nova de Foz Côa!

Pinhel concorre consciente daquilo que pode oferecer graças à sua tradição agrícola e vitivinícola, assim como todo o trabalhão de valorização e promoção que tem vindo a ser feito nos últimos anos com o objetivo de afirmar os Vinhos de Pinhel como o principal embaixador deste território, sendo que para este concurso o Município já tem planeados um conjunto de 25 propostas de atividades e eventos a desenvolver durante o ano de 2007, e que se deverão prolongar no tempo.

A decisão final da Associação de Municípios Portugueses do Vinho será anunciada a 14 de Novembro numa cerimónia que terá lugar em Lamego.