Rolling Stone distingue Boom Festival

Apesar de ainda ser um pouco desconhecido do público português, o BOOM Festival, que decorre de dois em dois anos em Idanha-a-Nova, tem vindo a somar prémios e reconhecimentos por esse mundo fora, atraindo milhares de pessoas a esta terra no interior de Portugal ansiosos por entrarem num mundo alternativo durante uma semana.

Um mundo de música, cor, luz, animação, arte e consciencialização daquilo que somos e qual a nossa ligação com o mundo.

boom5

Para quem já ouviu falar deste Festival a primeira ideia que transmitem, pelo menos no público nacional, é que se trata de um Festival alternativo onde reinam as drogas e a música psicadélica, frequentado por novos hippies.

O BOOM Festival não é um local onde se reúnem drogas, é até mesmo, uma festa aberta a todos os tipos de público e de qualquer idade.

É de facto procurado por pessoas que procuram um estilo de vida alternativo e mais ligado às raízes e à natureza, encontrando aqui um universo que lhes proporciona essa visão, e são milhares essas pessoas, sendo que os 33 mil bilhetes disponíveis para este ano esgotaram em 34 dias.

boom6

É um Festival especial e envolto numa mística única e por isso muitas pessoas confundem o que lá se passa, mas não quem realmente percebe o evento e é por isso que revistas como a Rolling Stone, que é a mais importante publicação de música no mundo, indicam este evento como sendo um dos “sete espetaculares acontecimentos do mundo”, como foi anunciado esta semana num artigo que a revista publicou.

O BOOM Festival surge ao lado de eventos internacionais como Burning Man (Nevada, Estados Unidos), Symbiosis Gathering e Lightening in a Bottle (ambos na Califórnia, Estados Unidos), Envision (Costa Rica), Beloved (Oregon, Estados Unidos) e Shambhala Gathering (Canadá).

boom7

A verdade é que o BOOM é mais conhecido fora de Portugal do que cá dentro, sendo que 85% do seu público é estrangeiro.

A Rolling Stone sublinha ainda que o BOOM Festival é como um regresso à vibra o boémia e espiritual dos anos 60, misturada com comida, música e performance artística fenomenais da Península Ibérica, realçando, também a internacionalmente premiada política de sustentabilidade que o próprio Festival promove e o seu programa artístico, cuja música “é decididamente mais madura” do que a que se ouve noutros festivais.

O BOOM deste ano realiza-se de 11 a 18 de agosto.

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *