Beyra recomenda-se para a Primavera

Portugal já não é apenas vinhos do Douro ou do Alentejo.

Há vinhos de outras regiões que começam a dar cartas além fronteiras, demonstrando o potencial do território nacional no que diz respeito à enologia e atestando a qualidade e diversidade dos vinhos que aqui se produzem, seja em que região for.

Desta vez foi a região da Beira Interior a ter destaque entre os entendidos do vinho.

beyra vinhoartigo

O Beyra Reserva tinto de 2013 obteve grande destaque na prestigiada revista Americana Wine Enthusiast com 5 vinhos na escolha para a próxima primavera.

Este vinho foi a escolha do Editor arrecadando 93 pontos, sendo que o Beyra Reserva Tinto 2013, Beyra Colheita Tinto 2014 e o Beyra Branco Colheita 2014 foram considerados boas escolhas.

A Comissão Vitivinícola da Beira Interior (CVRBI) aposta na internacionalização e valorização dos vinhos da região que começam a ganhar cada vez mais adeptos.

Os vinhos da Beira Interior estarão presentes no SISAB, o Salão Internacional do Setor Alimentar e Bebidas em Lisboa, um evento considerado a maior plataforma do mundo de negócios nesta área.

A CVRBI estará presente no Salão em conjunto com 6 produtores de vinhos desta região.

Com os vinhos Beyra, Rui Roboredo Madeira, enólogo, procura a identidade própria da região da Beira Interior, vinhos de grande complexidade que resultam da combinação entre intensidade aromática, mineralidade e frescura.

beyra vinhoO Beyra Reserva Tinto de 2013 é um vinho complexo, feito a partir das castas Roriz e Jaen, com bom potencial de envelhecimento. É um vinho de cor cereja, muito fresco no aromo devido à altitude em que é produzido, com muitos frutos vermelhos. Fresco na boca, com madeira bem integrada, ótimo para acompanhar a gastronomia regional, como os queijos, enchidos ou carnes assadas. Provem de uvas plantadas no planalto da Beira Interior, a uma altitude média de 700 metros, maioritariamente em solos de xisto. Em função do ano, selecionamos as melhores vinhas, cujas castas autóctones estão perfeitamente adaptadas ao clima rústico provocado pela altitude. As uvas foram colhidas à mão, recepção com desengace total e esmagamento imediato. Fermentação entre os 22-26o durante 7 dias com maceração suave. O estágio teve duração de 8 meses em barricas novas de Carvalho francês 1/3 e americano 2/3.

 

 

 

 

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *