Há Pechakucha no Fundão

Sabe o que é Pechakucha? Não, não é nenhum parente do Kunami!

Pechakucha vem do japonês e trata-se de um formato de apresentação em que o conteúdo pode ser fácil, eficiente e informalmente mostrado, normalmente num evento destinado a isso mesmo. E é isso mesmo que vai acontecer no Fundão, já pela sexta vez, no próximo dia 4 de dezembro, pelas 21h00 no edifício da Antiga Praça.

Este pretende ser um espaço onde os oradores, que dispõem apenas de seis minutos para fazerem a sua apresentação, irão tentar cativar o público dando a conhecer as suas ideias e projetos a um leque mais alargado de pessoas, a fim de estabelecerem eventuais contactos e parcerias com empresas ou entidades.

Este projeto surge no âmbito do Living Lab Cova da Beira, o ateliê pedronovo arquitetos e contando com o apoio do Município do Fundão, pretendendo-se enquadrar o Fab Lab Aldeias do Xisto, no tecido empresarial, enquanto instrumento e ferramenta de incremento económico ao dispor das empresas locais.

pechakucha

O Pechakucha consta de apresentações curtas, com cerca de 6 minutos, onde os oradores apresentam cerca de 20 slides onde constam as suas ideias e projetos.

Este evento distingue-se pela sua dinâmica muito característica, potenciada pelo pouco tempo disponível para cada apresentação o que faz com que os oradores tenham de fazer pleno uso da sua criatividade e poder de persuasão.

Este tipo de formato permite que se possa ter vários oradores sem que se perca a dinâmica e interesse no público.

Trata-se de um encontro de criadores, construído sobre um formato aplaudido em mais de 800 cidades em todo o mundo.

Nesta sexta edição do PechaKucha Fundão os oradores serão os seguintes: Júlio Vaz de Carvalho (Atalaias da Beira Baixa), Manuel Barbosa (Estudante), Nuno Donato (Eng. Informático), João Pedro Silva (Fotógrafo), Tiago Milheiro (Designer de Equipamento), Vanessa Martins (Filósofa), António Pedro Martins (Escultor), Renato Gonçalves (1991 Architects), Filipa Pimpão (1991 Architects), Helena Simões (Arquiteta), Câmara Municipal do Fundão, Alexandre Barata (ESTE – Estação Teatral), Aires Proença (Casa do Barro), Virgínia Batista (Mercearia Comunitas), Hugo Barros (Dome Architecture), Pedro Bragança (Dome Architecture), Dinora Xavier (D’Organic) e Nuno Vieira (D’Organic).

 

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *