A derradeira Ultramaratona é nas Beiras

Não é para qualquer um. Apenas para aqueles cuja resistência é tão grande quanto a sua resiliência.

É para aficionados, aventureiros e destemidos.

Falo de um desporto que exige muito do atleta, a Ultramaratona Portuguesa PT 281+, uma prova inspirada na norte-americana Badwater e na brasileira BR135+, provas que já têm a sua marca no panorama desportivo internacional.

A nossa PT281+ é uma das maiores distâncias do mundo em corrida pedestre, colocando-a, assim, na secção das mais longas do mundo, somando a este pormenor, o calor abrasador de agosto.

Este ano a prova passa pela Beira Interior, numa viagem de 281 km de trilhos pedestres que presenteiam os participantes com paisagens magníficas que ajudarão a esquecer as dores no corpo, com passagens por aldeias históricas, castelos, pontes medievais, entre montanhas, vales e planaltos.

A Ultramaratona PT281+ começa em Belmonte, no dia 18 de agosto, e fará passagens por Sabugal, Sortelha, Penamacor, Serra da Malcata, Monsanto, Idanha-a-Nova, Tejo Internacional, Vila Velha de Rodão para terminar em Proença-a-Nova.

Serão cerca de 50 os aventureiros, de países como Argentina, Brasil, Holanda, França, Estados Unidos da América, Uruguai ou Espanha, a participarem nesta prova que apesar de ter um limite de tempo irá contar com diversos postos e controlo onde os atletas poderão restabelecer forças para continuar a prova.

A Ultramaratona de Portugal além de ser das mais longas do mundo é pioneira no uso de equipamentos de navegação e rastreio, sendo a primeira no mundo a usar como única forma de navegação o GPS.

Serão cerca de 40 horas de prova que irão desafiar os atletas que nos próximos dias 19 e 20 se aventuram por terras da Beira Interior, numa das mais difíceis provas do planeta!

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *