A que sabe Piranha tatuar

Sentem-se como picadas de abelhas. Queima. Uma dor que se tolera porque a recompensa é bem maior.

É um crescendo de emoção e ansiedade, envolve-nos numa empolgação de meninice e é verdade, quem faz uma não se fica por ali.

O processo é todo um conjunto de emoções. A escolha. O significado. A coragem. E nunca se esquece a primeira vez!

No meio dos ais, dos franzires de testa e das lágrimas que teimam em querer cair, tolhemos o corpo, cerramos os punhos e os dentes e muitas vezes queremos sair e desistir, deixar aquelas mil abelhas que nos torturam a pele e nos queimam sem piedade. Mas não. Não o podemos fazer. Não há lugar ao arrependimento. Temos a certeza que queremos fazer! E por isso, não vamos sair dali.

Para o zumbido. Ganhamos coragem para abrir os olhos. Não queremos olhar. Não posso olhar. VOU OLHAR!

Paramos uns segundos, enquanto observamos. Está como eu queria? Já é parte de mim, de quem eu sou. É minha, esta na minha pele. Está perfeita! UFA! Hoje sou mais eu, completei um pouco mais a minha essência. A minha tatuagem! Doeu? Sim, doeu que se fartou! Momentos de pura tortura… Não vejo a hora de fazer outra!

Quem já tatuou a pele conhece esta sensação e sabe que é para sempre, talvez seja por isso que muitas pessoas não têm coragem de fazer, talvez seja por isso que muitas outras o fazem.

 

É um compromisso. Um compromisso com a nossa pele, com o que nós somos. São parte da nossa identidade, sejam mais escondidas, sejam visíveis a todos como um grito do que é a minha essência. É, para muitos, o maior compromisso que já fizeram na vida, está-lhes, literalmente, na pele!

 

Sabemos que podemos tirar, é como um casamento – ninguém casa a pensar que se vai divorciar – e tal como num matrimónio quando o divórcio acontece há a certeza de que muitas cicatrizes poderão ficar e que o processo será moroso e doloroso.

Tatuar o corpo é como casar, assumir um compromisso com a nossa pele.

Há que escolher o par certo.

E para que todo o processo aconteça sem riscos há que encontrar o “padre” perfeito, aquela pessoa que nos vai unir. Não é fácil. É uma escolha difícil e que implica muita confiança. E se falha o desenho? Terei de viver com o erro do outro marcado na minha pele para sempre?! O melhor mesmo é saber a que mãos nos vamos entregar! É um compromisso muito sério. Uma entrega. Um salto de fé. Ninguém quer um tiro no escuro.

Em Portugal começamos a abrir a nossa mente à tatuagem. Já não é um tabu, nem algo que membros de “determinados grupos” fazem. Apesar de ainda existir algum estigma, são milhares as pessoas que possuem tatuagens, algumas tão íntimas que não fazemos ideia que aquela pessoa a tem.

Segredos.

E tal como as mentes começam a ficar mais abertas, muito graças à abertura de fronteiras virtuais proporcionada pelo advento das novas tecnologias e internet, que nos mostram todo um novo mundo ao nosso alcance e nos abrem perspectivas, também aumentam o número de artistas dispostos a perpetuarem a sua arte no corpo de alguém. Mas nem todos são bons. Ainda bem que em Viseu os há de grande qualidade.

Os artistas do Piranha Studios em Viseu trouxeram a confirmação da sua qualidade do Oporto Tattoo que aconteceu na semana passada, confirmação em forma de taça de 1º e 2º lugares, numa das maiores convenções de Tattoos do país.

O Piranha Tattoo não é um estúdio qualquer. Aqui as tatuagens são levadas muito a sério. São arte e como tal toda a perspectiva em torno da tatuagem se modifica. O respeito é diferente. A alma é maior. Não é um trabalho. É uma filosofia.

Esta é uma casa composta por vários artistas de renome internacional nos diversos estilos de tatuagem e a qualidade tem de ser sempre de topo, seja na higiene e segurança, seja nos campos estéticos e artísticos.

A equipa é composta por 3 profissionais residentes de diversas nacionalidades e é, hoje em dia, considerado um dos melhores estúdios do país. Tal como um Museu ou uma companhia de arte, também este estúdio do Piranha Tattoo recebe, regularmente a visita de tatuadores, artistas convidados, com grande prestigio internacional, que fazem com que a notoriedade dos estúdios seja reconhecida além fronteira.

São 16 anos de crescimento e dedicação à arte que atrai clientes de todo o país e do estrangeiro, e conscientes da evolução do mundo o a Piranha Studios possui uma loja online que permite, aos seus clientes, independentemente da sua localização geográfica, terem acesso aos produtos disponíveis na loja em Viseu.

São vários os serviços disponíveis na Piranha Studios, desde a tatuagem, claro, passando pelo piercing, Microdermal, Micropigmentação, remoção laser, ou despigmentação laser (que tenta resolver más escolhas de tatuagens passadas) à formação.

Os artistas residentes são o João Morais, Enrich Rabel, Kati e Lucas Ferreira, contando com artistas convidados como Sérgio Gas, Pavel Krim, Samuel Potucek, Léo Neguin ou António Furtado.

piranha team

Na edição deste ano do Oporto Tattoo, Convenção de Tatuagem que decorreu em Gondomar, vieram para casa de mãos cheias de prémios, com um 1º lugar na categoria Black and Grey (sábado) da autoria de João Morais, Best Tattoo of Day sábado por João Morais (Melhor tatuagem do dia),

joao morais tattoo

outro 1º lugar Best Black and Grey, desta vez no domingo, com uma tatuagem da autoria de Enrich Rabel,

best domingo

um 2º lugar Best Black and Grey (domingo) por João Morais,

2 best domingo

ainda o 1º lugar Best Neotradicional (domingo) por Lucas Ferreira e um Best Tattoo of Shoe por João Morais artista residente (Melhor Tatuagem da convenção).

1 neo

Este reconhecimento só vem atestar a qualidade de um dos melhores estúdios do país, numa arte que muitos ainda consideram underground (uma das mais antigas artes da humanidade e ainda mal percebida por muitos), mas que tem vindo a ganhar cada vez mais adeptos e que tem vindo a ser, e ainda bem, cada vez mais desprovida de preconceitos e convenções.

E por incrível que pareça, este que é um estúdio de tatuagens respeitado por esse mundo fora pelos seus pares, fica numa cidade do interior de Portugal. Parece que, afinal, o interior não e tão interior assim!

Já conhece Viseu?

https://heartbeat.pt/ano-oficial-visitar-viseu/

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *