As bodas do Tom

Assinala este ano as suas Bodas de Prata, dedicado às músicas do mundo, o Tom de Festa é o mais antigo Festival do género em Portugal.

São 25 anos que começaram de modo tão natural como a vida, como o reavivar de uma festa popular que evoluiu para um acontecimento artístico-cultural onde a matriz da ACERT se revisse. São 25 anos de mais de uma centena de noites e muitos encontros, de celebração de música ancorada às outras muitas artes e dinamização comunitária de que é moldada a ACERT.

A essência deste Festival não está na quantidade de gente que atrai. Esta na sua identidade e genuinidade que quem o faz e de quem se sente atraído por essas simples razões tão autenticas e por isso tão contagiantes. É um Festival com a alma de quem o faz e com a alma de quem nele participa, e por isso vale a pena ser vivido.

Este Festival é uma Ode ao mundo, à cultura e à arte, fator de relação solidária entre os povos.

Cheio de momentos surpreendentes, o Tom de Festa deste ano pretende dar continuidade ao que o torna único com um programa contagiante.

De 14 a 18 de julho serão várias as atividades e diversos os nomes que vão passar por Tondela.

Segundo a organização, durante este período, Tondela será guineense e mexicana, dançará o tango e rimará o rap, irá relembrar o foral que lhe deu jurisdição e não se esquecerá dos saltimbancos que por estas terras foram passando. Há ainda promessa de porco assado em mesa partilhada, numa mistura com os músicos, numa babel de sonhos e loucura à mistura tal qual a casa da ACERT.

A abrir as hostes do festival o concerto comemorativo dos 500 anos do Foral de Besteiros, logo no dia 14 de julho, convocados foram alguns nomes do panorama musical de raízes em Tondela como a cantora dos Deolinda, Ana bacalhau, Filipe Melo e Samuel Uria, assim como os músicos d’A Cor da Língua ACERT.

A companhia ACERT irá invadir o espaço do festival no dia 15 com uma Ode ligeira e humorada, com um final apoteótico que abrirá o pano de boca numa ceia onde artistas e público provarão um porco no espeto, porque “O Porco é um Bísaro e come-se!, tem mais é que ser comido e bebido como manda a lei.

Vamos até ao México no terceiro dia do festival!

Jenny and The Mexicats. Uma londrina, um espanhol e dois mexicanos resultam numa banda de som e ritmos poderosos numa sonoridade multicultural. A garantia é a de uma festa sonora que não deixará ninguém indiferente!

Jenny The Mexicats artigo

Para terras quentes e misteriosas é o rumo da viagem no dia 17. Da Guiné-Bissau, Karyna Gomes, apresenta-nos o seu disco a solo, Mindjer, uma homenagem às mulheres guineenses e à sua luta pela liberdade. Este álbum mistura a música tradicional com a mais moderna, com influências da soul, jazz e R’n’b. Da Guiné-Bissau passamos até ao outro lado do Atlântico, com a Orquestra típica de Fernandez Fierro da Argentina. A noite irá encher-se de tango numa energia inesgotável.

Karyna Gomes artigo

No dia 18 vamos sentir o arrepiar na pele da rima, com Capicua e o seu modo único de expressão. Rapper portuguesa, de verbo solto e rima afiada para intervir. Ainda no dia 18 sobem ao palco os Clã, banda icónica do panorama musical nacional.

Capicua artigo

Mas há mais para além da música neste Tom de Festa em Tondela. Há artesanato, exposições, produtos locais, literatura, gastronomia regional, vídeo e animações. Os preços variam entre os 5 e os 10€ para bilhetes diários e os 12,50€ e os 25€ para os três dias do Festival. Para mais informações o melhor mesmo é ir até http://www.acert.pt/tomdefesta/2015/sobre-o-festival/programa. Vemo-nos por lá!

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *